Jornais Antigos 1883/1930

Jornais antigos são preciosos. Eles carregam as notícias do passado e também as ideias de uma época, seus costumes, crenças e valores. A leitura de suas matérias demonstra como a cidade evoluía diante dos acontecimentos regionais, nacionais e internacionais. Afinal, no século XIX, antes do rádio, da televisão e da internet, o periódico escrito e editado nas cidades do interior era o único veículo de informação existente. Por ele, ocorria a leitura dos escritos de muitos produtores de textos locais, numa infindável série de gêneros: o editorial, a crônica, a nota oficial, o poema, a novela ou folhetim, a propaganda, etc.

Nesses jornais improvisados de pequena tiragem e preços acessíveis à população, a notícia passou a ganhar dimensão de opinião pública, interferindo assim no curso dos acontecimentos. Por isso, ainda que se apresentasse neutro, o pasquim sempre estava preso a alguma corrente de pensamento político, ideológico ou artístico. Desse modo, sua leitura carrega outras leituras, construções mentais, estratégias e táticas típicas das disputas partidárias ou literárias. Temas que ajudam na reconstrução de como se pensava e se agia diante das coisas cotidianas de final do século XIX. O jornal antigo é, portanto, um portal para compreensão do passado.

Aqui em Palmares, nos primeiros anos de cidade emancipada, jornais periódicos de pequena tiragem e curta duração circularam numa sequencia praticamente anual. Anos após anos surgiam e desapareciam, às vezes apenas mudando de nome e endereço, escrito e impresso pelos mesmos homens de letras que se dedicavam na manutenção de tipografias locais, pois os jornais se constituíam em negócio, exigindo investimentos, produção, distribuição e consumo. Fazia-se a venda de assinaturas, a remessa de números para outras praças, a oferta nas ruas da cidade, em bancas ou através de vendedores, os gazeteiros que gritavam as manchetes para os transeuntes, em locais de grande concentração: estação de trem, mercados e pátios públicos.

Essa história de jornais em Palmares, coroada com o famoso e cinquentenário “A Notícia”, começa na década de 1880 e avança até 1900. Projeta-se no século XX e chega até os dias atuais, ainda com as mesmas características marcantes: tecnicamente improvisados, de pequena tiragem, preço acessível, incapazes de concorrer com os diários dos grandes centros urbanos e embora se digam imparciais, geralmente, para sobreviver, encontram-se aliados a algum grupo político, governamental ou empresarial.

Apresentamos, nessa página, os jornais locais impressos no século XIX, seus detalhes técnicos, proprietários, corpo de colunistas e colaboradores mais habituais. Uma contribuição à memória do jornalismo praticado no interior de Pernambuco, muito importantes na época da Abolição da escravidão e da Proclamação da República.